quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Tecnologias para a Comunicação Aumentativa e Alternativa

Este é mais um conceito no qual me debrucei. Quando ouvi este conceito o que me veio à ideia foram tecnologias a nível do computador; como o computador poderá ter um papel importante na comunicação de pessoas com necessidades especiais.

Após algumas leituras, fiquei a saber que estas tecnologias, também denominadas como CAA, servem para substituir a fala, havendo, na mesma comunicação, mas por outros meios.  As pessoas vão conseguir "expressar-se" com a ajuda do computador através de símbolos, palavras, sons. Leiam este artigo, pois dá-nos uma explicação muito concisa sobre o que são as CAA.

Fiquei também a saber que o Instituto Português de Psicologia tem, na sua formação, uma pós-graduação em Comunicação Aumentativa e Alternativa e Tecnologias de Apoio

Aconselho-vos, também, a verem estes slides, pois além de nos explicar o conceito supracitado, também nos dá a conhecer exemplos de tecnologias de apoio à Comunicação Aumentativa (ex. dispositivos, programas, teclados, digitalizadores)

Para muitos de nós falar é algo natural e muito simples. Mas para certas pessoas com necessidades especiais isso não é bem assim. Folgo em saber que a tecnologia já evoluiu o suficiente para ajudar estas pessoas, que têm muito a dizer, e, assim, poderem "dizer" o que vai dentro delas, pedir ajuda, partilhar pensamentos, enfim... comunicar!

Tecnologias Assistivas

Quando me debruço sobre este conceito "Tecnologias Assistivas" penso sobre os meios que existem que garantem um apoio a pessoas com necessidades especiais. Meios esses, que irão apoiá-los e serem um meio facilitador no seu dia-a-dia.

Fiz uma pesquisa mais profunda sobre o tema e deparei-me com o seguinte:

“Tecnologia assistiva são recursos e serviços que visam facilitar o desenvolvimento de atividades diárias por pessoas com deficiência. Procuram aumentar as capacidades funcionais e assim promover a independência e a autonomia de quem as utiliza”. (MELO, 2007, p. 94)

Encontrei os seguintes videos que me parecem pertinentes na compreensão deste conceito.







Ajudas Técnicas

Após uma pesquisa, fiquei a saber o seguinte sobre este conceito: Ajudas técnicas / produtos de apoio como qualquer produto (incluindo dispositivos, equipamento, instrumentos, tecnologia e software) especialmente produzido e disponível, para prevenir, compensar, monitorizar, aliviar ou neutralizar qualquer impedimento, limitação da actividade e restrição na participação” (ISO 9999/2007). Destinam-se a todas as pessoas com deficiências ou incapacidade, permanente ou temporária.
 
Vejam este site: Ajudas Técnicas - Neste site, podemos pesquisar uma série de ajudas técnicas existentes. Desde cadeiras, teclados, jogos. É só pesquisarem e ficarem admirados com a quantidade de ajudas que as pessoas com necessidades especiais poderão ter acesso e ver a suas vidas mais facilitadas. 

Encontrei o seguinte pdf Ajudas Técnicas - Benefícios para Pessoas com Deficiência . Vale a pena ler, pois responde-nos às seguintes perguntas: O que são Ajudas Técnicas?; Como se classificam as Ajudas Técnicas?; A quem se destinam as Ajudas Técnicas?; Como deve ser utlizada a escolha das Ajudas Técnicas?; Quem financia as Ajudas Técnicas?;  No sistema supletivo, a prescrição médica para o financiamento das Ajudas Técnicas é obrigatória? Quais os níveis de prescrição e quais são as entidades prescritoras de Ajudas Técnicas? Quais são os procedimentos necessários para que a Ajuda Técnica seja financiada? Que cuidados deve ter o utilizador? Que normas de conduta devem orientar os técnicos que acompanham as prescrições e financiamento de Ajudas Técnicas?

Há um despacho 6133/ 2012 que rege os Produtos de Apoio para pessoas com deficiência (Ajudas Técnicas)

Cliquem na Legislação sobre a Acessibilidade. É muito bom saber que há legislação. De realçar a anuidade dos despachos.

Feliz dia das Bruxas

Hoje, celebra-se o "Dia das Bruxas", por isso, desejo-vos a todos um dia muito feliz! Achei esta imagem uma ternura.

Menina (com Síndrome de Down) mascarada de bruxinha

sábado, 26 de outubro de 2013

Sou pequenino e sei aceitar a diferença

Conhecem a loja "Imaginarium"? Uma loja para crianças com brinquedos muito giros. Não sei se é do vosso conhecimento, mas eles têm uma linha de bonecos/ peluches que "ensinam" os mais pequenos a lidar com a diferença. Passo a explicar...

Estes bonecos têm características que os tornam diferentes. À primeira vista, poderá parecer um defeito de fabrico, mas não é. Tudo tem uma finalidade. Temos o rato que tem uma orelha maior que a outra; o pato que tem uma asa maior que a outra; o cão que tem a boca torta... enfim, diferenças que não fazem deles mais ou menos bonitos; melhores ou piores. 

Considero esta ideia fantástica. Tenho familiares pequeninos que têm bonequinhos desta coleção e já sabem que, apesar das diferenças, são, de igual modo, valiosos. Começam, desde de tenra idade, a saber lidar com a diferença. Que essa diferença não deve ser sinónimo de discriminação. Aprendem a aceitar a diferença!

Uma ideia, um conceito a aplaudir!!

Cinco bonecos da Imaginarium: um macaco, um pato, um cão, um rato e um leão

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Inclusão digital - uma pesquisa, uma breve reflexão

O que é para mim a Inclusão Digital? Pois bem, quando penso neste conceito, o que me vem à ideia é os recursos que existem de modo a que todos (nomeadamente, pessoas com Necessidades Especiais) possam ter um acesso, por igual, às tecnologias.

Após uma pesquisa, encontrei o seguinte:
De onde destaco:  A Inclusão Digital constitui um dos principais pilares de qualquer política de promoção da Sociedade da Informação. Tem como principais objectivos corrigir desigualdades de acesso aos benefícios da Sociedade da Informação, evitar novas formas de exclusão e promover mais oportunidades de participação na sociedade a grupos populacionais mais vulneráveis. Esta população inclui pessoas com reduzida literacia, com poucas condições económicas, emigrantes, residentes em regiões ou locais desfavorecidos, pessoas com deficiência, idosos, entre outros.

Sendo uma área tão vasta debruço-me sobre a Inclusão Digital de Pessoas com Necessidades Especiais (pessoas com deficiência e idosos) por ser aquela que conheço melhor e consequentemente poderei analisar com maior rigor.” (Francisco Godinho)

Aconselho a leitura de todo o artigo.
Boas notícias: “Centro de Inclusão Digital já arrancou em Portugal”
E mesmo aqui, na nossa mui nobre instituição, Universidade do Minho, temos um Gabinete Para a Inclusão (GPI). No qual trabalha um colega nosso que esteve presente, na passada segunda-feira, na aula de TIC. Uma entrevista muito interessante. Parabéns Sr. Rui Miguel Segurado Silva.

Após a leitura destes textos, fico na ideia que há muito mais para fazer. O caminho começa a ser traçado e espero que a caminhada nunca mais termine.

No nosso dia-a-dia, temos a nossa vida muito facilitada com todas as novas tecnologias, e com a nova Era Digital. Mas nem sempre pensamos que, o que é simples para nós, não é para outros, pois essas tecnologias não são acessíveis a todos. Mas isso está a mudar. Fico feliz!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Somos Iguais, Diferentes

Estava a fazer uma pesquisa no "youtube" sobre a temática da diferença. Encontrei esta música. Tem um imagens que me deixam encantada. Tudo se resume a "Eu posso fazer a diferença e dar a mão."

Deixo aqui a letra:

"Vou-vos contar uma história

De um pequeno trevo que nasceu diferente

Em vez de três folhas
Tinha quatro e um coração carente
Toda a gente olhava com desprezo
Sem coragem para o encarar
Estava triste por não ter amigos
Com quem brincar

Somos iguais, diferentes. Não nos interessa, o aspecto. Queremos que o mundo inteiro dê ao trevo muito afecto. Somos iguais, diferentes. Não nos interessa, o aspecto. Queremos que o mundo inteiro dê ao trevo muito afecto.

O único amigo que lhe dava atenção
E carinho era o vento
Os outros que olhavam
Sem um gesto nem uma palavra
Dói por dentro
Mas um dia passou um menino
E abraçou o trevo com paixão
Há certos gestos que não têm preço
"o dar a mão"" (João Portugal)


terça-feira, 22 de outubro de 2013

O início do concretizar de um sonho...

Escrevo este post para vos poder explicar o porquê de ter escolhido formar-me em Educação Especial. Escolhi porque tenho esse sonho. Tenho o sonho de poder chegar a quem precisa; poder ver que um mau comportamento poderá estar associado a alguma dificuldade de aprendizagem, ou até mesmo a uma hiperatividade; detetar que uma falta de atenção não esteja relacionada com o jogo de futebol do dia anterior, mas sim com um défice de atenção...e muitas outras situações ...enfim...poder dizer: "Eu posso ajudar-te!".

Chegar a estes alunos, conseguir fazê-los superar dificuldades, é uma grande vitória. Mas a maior vitória de todas será receber um sorriso, um olhar, um abraço...

Este é um sonho. Sonhamos todas as noites. Eu vou poder ver o meu sonho ser concretizado todos os dias.

Uma folha de papel que diz: Sonhar


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O nosso cantinho...

... disfrutem
O nosso cantinho: um sofá-baloiço

Bem-vindos ao meu Portefólio

Olá!! Sou a Eduarda Fernandes e sou aluna do Mestrado de Educação Especial - Dificuldades de Aprendizagem Específicas, da Universidade do Minho.

Este blogue foi criado no âmbito da Unidade Curricular de Tecnologias de Informação e Comunicação e servirá como o meu portefólio. Pretendo, com este meu/ nosso "cantinho", partilhar reflexões, pesquisas, que nos ajudem a perceber melhor a importânica das TIC em pessoas com necessidades especiais.

Espero que gostem de o seguir!